Anisocoria: o que é, principais causas e o que fazer

HomeLifestyle

Anisocoria: o que é, principais causas e o que fazer

Anisocoria é quando as pupilas possuem tamanhos diferentes, existindo uma mais dilatada que a outra. As pupilas são o centro escuro dos olhos que se dilatam e contraem dependendo da quantidade de luz do ambiente.

A diferença do tamanho das pupilas pode acontecer em qualquer pessoa sem motivo algum. No entanto, a enxaqueca, a inflamação no nervo óptico, o uso de alguns medicamentos e a pancada na cabeça, por exemplo, podem provocar a anisocoria.

É importante que o oftalmologista seja consultado para que seja investigada a causa da anisocoria e, assim, seja avaliada a necessidade de realizar tratamento adequado.


Principais causas de anisocoria

As principais causas de anisocoria são:

1. Pancadas na cabeça

Quando se sofre uma pancada forte na cabeça, devido a um acidente de trânsito ou durante um esporte de alto impacto, por exemplo, pode se desenvolver um traumatismo craniano, no qual pequenas fraturas surgem no crânio. Isso pode acabar originando uma hemorragia no cérebro, o que pode fazer pressão sobre alguma região do cérebro que controla os olhos, originando a anisocoria.

Assim, se a anisocoria surgir após uma pancada na cabeça, pode ser um importante sinal de hemorragia cerebral, por exemplo. Mas nesses casos, também podem surgir outros sintomas como sangramento pelo nariz ou ouvidos, dor de cabeça intensa ou confusão e perda de equilíbrio. Saiba mais sobre o traumatismo craniano e seus sinais.

O que fazer: deve-se chamar imediatamente ajuda médica, ligando para o 192 e evitar movimentar o pescoço, especialmente após acidentes de trânsito, pois também podem existir lesões na coluna vertebral.

Não ignore os seus sintomas!

Priorize sua saúde. Descubra a causa dos seus sintomas e receba o cuidado que precisa.




Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

2. Enxaqueca

Em vários casos de enxaqueca, a dor pode acabar afetando os olhos, o que pode provocar não só a caída de uma das pálpebras, mas também dilatação de uma das pupilas.

Normalmente, para identificar se a anisocoria está sendo provocada por uma enxaqueca, é preciso avaliar se estão presentes outros sinais de enxaqueca como dor de cabeça muito intensa especialmente de um lado da cabeça, visão embaçada, sensibilidade à luz, dificuldade de concentração ou sensibilidade a ruídos.

O que fazer: uma boa forma de aliviar a dor da enxaqueca consiste em repousar em um quarto escuro e silencioso, para evitar estímulos externos, no entanto, também existem alguns remédios que podem ser recomendados pelo médico caso a enxaqueca seja frequente. Outra opção é tomar um chá de artemísia, pois é uma planta que ajuda a aliviar bastante a dor de cabeça e enxaqueca.

Leia também: Artemísia: para que serve (e como fazer o chá)


tuasaude.com/artemisia

3. Inflamação do nervo ótico

A inflamação do nervo ótico, também conhecida como neurite ótica, pode acontecer devido a várias causas, mas normalmente surge em pessoas com doenças autoimunes, como esclerose múltipla, ou com infecções virais, como catapora ou tuberculose. Quando surge, essa inflamação impede a passagem de informação do cérebro para o olho e, caso afete apenas um olho, pode levar ao surgimento de anisocoria.

Outros sintomas frequentes em casos de inflamação do nervo ótico incluem perda de visão, dor para movimentar o olho e até dificuldade para distinguir cores.

O que fazer: a inflamação do nervo ótico precisa ser tratada com corticoides indicados pelo médico e, normalmente, o tratamento precisa ser iniciado com injeções diretamente na veia. Dessa forma, é aconselhado ir imediatamente ao hospital, caso os sintomas de alterações no olho surjam em pessoas com doenças autoimunes ou com uma infecção viral.

Leia também: Corticoides: o que são, para que servem, tipos e efeitos colaterais


tuasaude.com/corticoides

4. Tumor cerebral, aneurisma ou AVC

Além do traumatismo craniano, qualquer alteração cerebral como um tumor se desenvolvendo, um aneurisma ou até um AVC, podem causar pressão sobre uma parte do cérebro e acabar alterando o tamanho das pupilas.

Assim, se essa alteração surgir sem motivo aparente ou se for acompanhada de sintomas como formigamento em alguma parte do corpo, sensação de desmaio ou fraqueza em um lado do corpo, deve-se ir ao hospital.

O que fazer: sempre que existe suspeita de uma alteração cerebral deve-se ir ao hospital para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado. Veja mais sobre o tratamento do tumor cerebral, aneurisma ou AVC.

5. Pupila de Adie

Esta é uma síndrome bastante rara na qual uma das pupilas não reage à luz, ficando constantemente dilatada, como se estivesse sempre num local escuro. Assim, este tipo de anisocoria pode ser mais facilmente identificado quando se está exposto ao sol ou quando se tira uma fotografia com flash, por exemplo.

Embora não seja um problema grave, pode causar outros sintomas como visão turva, dificuldade para focar, sensibilidade à luz e dor de cabeça frequente.

O que fazer: esta síndrome não tem um tratamento específico, no entanto, o oftalmologista pode aconselhar o uso de óculos com grau para corrigir a visão turva e desfocada, assim como o uso de óculos de sol para proteger contra a luz do sol, reduzindo a sensibilidade.

6. Uso de medicamentos e outras substâncias

Alguns medicamentos podem causar anisocoria após seu uso, como a clonidina, diferentes tipos de colírios, adesivo de escopolamina e ipratrópio em aerossol, se em contato com o olho. Além desses, o uso de outras substâncias, como cocaína, ou o contato com coleiras ou sprays antipulgas para animais ou materiais organofosforados também podem causar alterações do tamanho das pupilas.

O que fazer: em caso de envenenamento por substâncias ou reações após uso de drogas, é recomendado procurar atendimento médico para evitar complicações ou ligar para o 192 e solicitar atendimento. No caso da anisocoria ser pelo uso de medicamentos e se apresentem sintomas associados, deve-se retornar ao médico para avaliar a troca ou a suspensão dos remédios.

7. Meningite

A meningite é uma infecção que provoca inflamação das meninges, que são as membranas que cobrem o cérebro e a medula espinhal, podendo ser causada por uma infecção por vírus, bactérias, parasitas ou fungos.

Essa infecção pode causar anisocoria devido ao aumento da pressão intracraniana, como consequência da inflamação no cérebro. Além disso, também podem surgir outros sintomas como náuseas, vômitos, febre, fraqueza, rigidez e dor no pescoço e visão embaçada. Confira mais sintomas de meningite.

O que fazer: em caso de sintomas de meningite, é importante ir ao hospital para que seja confirmado o diagnóstico e iniciado o tratamento o mais rápido possível para evitar o desenvolvimento de lesões que podem provocar sequelas permanentes.

8. Glaucoma

O glaucoma é uma doença ocular que pode provocar o aumento da pressão no olho, o que pode levar à dilatação da pupila. Essa condição pode ser assintomática ou provocar sintomas como dor e vermelhidão nos olhos. Confira outros sintomas de glaucoma.

O que fazer: é importante que em caso de suspeita de glaucoma o oftalmologista seja consultado para realizar exames de diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado para prevenir a perda da visão.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da anisocoria deve ser feito pelo oftalmologista, que irá realizar uma avaliação das pupilas com o objetivo de verificar como respondem à mudança de luz.

Em caso de sintomas associados, o médico pode indicar a realização de outros exames de diagnóstico que considere necessário, como radiografia, ressonância magnética ou tomografia computadorizada.

Fonte: clique aqui.
Você bem informado!

COMMENTS