Brasil de Fato lança podcast que narra os impactos da

HomeBrasil

Brasil de Fato lança podcast que narra os impactos da

Por causa dos 60 anos do golpe civil-militar de 1964, o Brasil de Fato resolveu aprofundar o tema e detalhar os impactos da ditadura para os estados nordestinos por meio da série de reportagem Futuro interrompido – as consequências da ditadura militar para o Nordeste. 

Continua após publicidade

O foco da série, dividida em três episódios, é esmiuçar como a implementação de ações a partir de ideias de pensadores como Celso Furtado, Paulo Freire e Josué de Castro foram interrompidas pelos militares. 

Continua após publicidade

O ponto de partida desta série é um texto feito por Celso Furtado em 2004, durante as comemorações dos 40 anos do golpe. No texto, ele afirma que o Nordeste foi a região mais afetada pela ditadura. 

Continua após publicidade

“No Nordeste, porém, onde me encontrava na época, as consequências do golpe foram muito graves, pois ali havia uma política social em andamento, e a repressão exercida desde o início liquidou com movimentos sociais de grande alcance, surgidos no decênio anterior e que prenunciavam uma ampla reconstrução de suas estruturas”, concluiu.



Criador da Sudene e do Plano Trienal de Desenvolvimento, Celso Furtado trazia os estudos de economia, história e sociedade para a prática. / Arquivo Celso Furtado

O fio da narrativa é a descrição de como ideias importantes para a região, como o desenvolvimento industrial (Celso Furtado), alfabetização de adultos (Paulo Freire) e o combate à fome (Josué de Castro), foram desidratadas pelo regime militar através da cassação dos direitos políticos, do exílio e até prisão dos seus principais ideólogos, com consequências até os dias atuais. 

A série segue a trilha apontada por Furtado. Faz uma retrospectiva do que estava acontecendo no Brasil dos anos 1950, o auge do governo JK e o salto de modernidade daquele período. Enfatiza as contradições regionais e como o Nordeste ficou de fora dessa onda de desenvolvimento, registrando alto analfabetismo, desemprego, secas severas e fome. 

Diante desta grave situação, emergiram na região movimentos e ideias que prometiam um salto histórico, a exemplo da atuação das Ligas Camponesas, o Movimento de Cultura Popular, o nascimento dos Sindicatos Rurais e a criação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste. 

“A biografia dos três pensadores (Josué, Celso e Paulo Freire) é a base para entender de que maneira os militares interromperam uma promessa de futuro para a região. Na série, vamos mostrar qual foi a consequência direta para região da interrupção dessas ideias e reformas”, explicou o repórter Afonso Bezerra, autor da série, que contou com a produção de Camila Aguiar.



Monumento erguido na cidade de Angicos em homenagem ao projeto liderado por Paulo Freire / Afonso Bezerra

Roteiro da série  

No primeiro episódio, o ouvinte vai se deparar com o contexto histórico dos anos 1950 e a batalha institucional travada por Celso Furtado para erguer a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). 

No segundo, vamos viajar até Angicos, no Rio Grande do Norte,  para conhecer de perto o método de alfabetização de adultos em 40 horas liderado por Paulo Freire. Vamos redescobrir a dinâmica das aulas, o potencial transformador da experiência e como os militares viram no método uma atividade perigosa. 

Por fim, no terceiro episódio, vamos relembrar como Josué de Castro, autor do livro Geografia da Fome, se destacou internacionalmente ao revelar que a causa da fome é política e humana, e de que maneira esta interpretação sobre o problema histórico do país o colocou na lista dos primeiros cassados pelos militares.

“O nosso objetivo é tornar o conhecimento histórico mais acessível e revelar a quantidade de desigualdades, violências e injustiças que foram geradas pela ditadura. É um forma de fortalecer a construção de memória no nosso país”, explica o repórter.

 



Geografia da Fome: A Fome no Brasil, lançada em 1946, é uma das obras mais destacadas de Josué de Castro / Foto: Acervo Fundação Joaquim Nabuco-MiE

A série faz parte desta nova safra de conteúdos de longa duração, de fôlego, com apuração histórica e voltado para o público que prefere acessar as reportagens do Brasil de Fato nas plataformas de áudio. 

“Eu acho que essa produção sintetiza uma grande denúncia: de como a ditadura tem impactos até hoje na região Nordeste. E o formato podcast democratiza esse conhecimento, leva para mais pessoas esse tipo de informação que a gente tem visto pouco na imprensa comercial”, explicou Camila Salmazio, diretora de programas de áudio do Brasil de Fato e responsável pelo tratamento do roteiro da série. 

Ela destaca que Futuro interrompido – as consequências da ditadura militar para o Nordeste oferece um olhar inovador ao grande público, ao destacar os efeitos do golpe numa região historicamente excluída no país. 

“A gente ainda tem uma priorização do Sudeste brasileiro. Pouco se olha para produções do Nordeste. Acho que o Brasil de Fato acerta em trazer esse tipo de conteúdo também em formato de podcast”. 

Ouça os episódios: 

Edição: Matheus Alves de Almeida



Fonte: clique aqui.

Você bem informado!

COMMENTS