Como diminuir a quantidade de potássio nos alimentos

HomeLifestyle

Como diminuir a quantidade de potássio nos alimentos

Existem algumas técnicas que podem ser aplicadas para diminuir a concentração de potássio nos alimentos, como tirar a casca, deixar o alimento de molho e/ ou cozinhá-los com água por bastante tempo, por exemplo.

O potássio é um mineral que pode ser encontrado em muitos alimentos, principalmente em frutas, grãos e vegetais. Além disso, também é importante identificar quais são os alimentos baixos em potássio, quais podem ser incluídos na dieta com precaução e quais alimentos possuem alto teor desse mineral.

A dieta baixa em potássio é necessária em algumas doenças, como doença renal crônica, insuficiência renal ou transplante de órgãos, por exemplo. Nesses casos, a quantidade de potássio a ser consumida por dia deverá ser estabelecida pelo médico ou nutricionista de acordo com a condição que a pessoa apresenta e da concentração de potássio circulante no corpo.


Como diminuir o potássio dos alimentos

Para diminuir o potássio dos alimentos, as recomendações gerais são:

  1. Descascar e colocar os legumes em água fria para não escurecer;
  2. Cortar as verduras em pequenos cubos;
  3. Enxaguar o alimento com água morna por alguns segundos;
  4. Mergulhar o alimento por, no mínimo 2 horas, em água morna sem sal, usando dez vezes a quantidade de água em proporção à quantidade de vegetais;
  5. Enxaguar novamente como água morna durante alguns segundos;
  6. Cozinhar as verduras com cinco vezes a quantidade de água sem sal em proporção à quantidade de verduras.

Além disso, outras recomendações para atuar a diminuir o potássio dos alimentos são lavar e descascar os alimentos, congelá-los, deixá-los de molho por 4 horas e depois aplicar aplicar qualquer tipo de cozimento.

Outras dicas para diminuir o potássio

Outras dicas que podem ser seguidas para diminuir o consumo de potássio são:

  • Descartar a água do cozimento dos alimento cozidos, pois contém a maior parte do potássio liberado;
  • Evitar o uso de sal light ou diet, já que são compostos por 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio;
  • Diminuir o consumo de chá preto e chá mate, pois possuem elevado teor de potássio;
  • Evitar o consumo de alimentos integrais;
  • Limitar o consumo de produtos enlatados que podem conter o conservante cloreto de potássio, como latas de tomate, outros vegetais ou sopas em lata;
  • Comer apenas 2 porções de frutas por dia, de preferência cozidas e sem casca.

Além disso, é recomendado evitar o consumo de bebidas alcoólicas, uma vez que grandes quantidades podem reduzir a quantidade de potássio excretado na urina, sendo verificada, portanto, maior quantidade no sangue

Quantidade de potássio nos alimentos

Para o controle da quantidade de potássio é importante conhecer quais são os alimentos com alto, médio e baixo teor, como é mostrado na tabela a seguir:

É importante respeitas as porções dos alimentos para evitar exceder as quantidades diárias de potássio por dia, além de ter em conta a forma de cocção para diminuir as quantidades desse mineral.

Leia também: Alimentos ricos em potássio


tuasaude.com/alimentos-ricos-em-potassio

Consulte o nutricionista mais próximo, usando a ferramenta a seguir, para ter mais orientações sobre os alimentos ricos em potássio:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Nutricionistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.


Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como fazer uma alimentação baixa em potássio

Veja a seguir um exemplo de cardápio de 3 dias com quantidade aproximada de 2000 mg de potássio. Esse cardápio foi calculado sem aplicar a técnica de cozimento duplo, sendo importante recordar as dicas anteriormente mencionadas para diminuir a concentração de potássio presente nos alimentos.

As porções dos alimentos apresentados na tabela acima variam de acordo com a idade, sexo, atividade físcia e se a pessoa possui alguma doença associada ou não, por isso o ideal é que o nutricionista seja consultado para que seja feita uma avaliação completa e seja elaborado um plano nutricional adaptado às suas necessidades.

Os níveis elevados de potássio no sangue podem causar palpitações cardíacas, náuseas, vômitos e infarto, devendo ser tratado com alterações na alimentação e, quando necessário, com o uso de medicamentos recomendados pelo médico. Entenda o que pode acontecer se o potássio no sangue estiver alterado.

Imagem do autor

Licenciada em Nutrição e Dietética pela Universidad Central de Venezuela. Inscrita no Ministério da Saúde da República da Venezuela com nº MPPS 3781.





97% dos leitores

acham este conteúdo útil



(421 avaliações nos últimos 12 meses)

Histórico de atualizações

Atualizamos regularmente os nossos conteúdos com a informação científica mais recente, para que mantenham um nível de qualidade excepcional.

Bibliografia
  • NATIONAL KIDNEY FOUNDATION . Potassium in Your CKD Diet. Disponível em: <https://www.kidney.org/atoz/content/potassium-ckd-diet>. Acesso em 19 jan 2024
  • CLÍNIC BARCELONA. Nuevas técnicas de cocción para el control de potasio consiguen mejores resultados en menos tiempo. 2020. Disponível em: <https://www.clinicbarcelona.org/noticias/nuevas-tecnicas-de-coccion-para-el-control-de-potasio-consiguen-mejores-resultados-en-menos-tiempo>. Acesso em 19 jan 2024
  • COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS. Plataforma Portuguesa de Informação Alimentar: Vários alimentos. Disponível em: <http://portfir.insa.pt/foodcomp/food?11718>. Acesso em 08 nov 2019
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS . Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO. 2011. Disponível em: <http://www.nepa.unicamp.br/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf>. Acesso em 30 ago 2019
  • COZZOLINO Silvia. Biodisponibilidade de nutrientes. 4º. Brasil: Manole Ltda, 2012. 567-568.
  • MARTINS Cristina. Nutrição para pacientes em hemodiálise. 3º. Paraná, Brasil: UFPR, 2003. 28.
  • ÁLVAREZ María Luisa et al. Nutrición en pediatría . 2ª. Caracas, Venezuela: Cania, 2009. 1032.

Fonte: clique aqui.
Você bem informado!

COMMENTS