Estatal chinesa quer investir R$ 200 bi no setor de energia no Brasil

HomeJustiça

Estatal chinesa quer investir R$ 200 bi no setor de energia no Brasil

State Grid, que arrematou o maior lote do leilão de transmissão de dezembro de 2023, apresentou ao governo projetos de energias renováveis e mineração

A estatal chinesa State Grid anunciou nesta 3ª feira (2.abr.2024) o plano de investir R$ 200 bilhões no setor de energia no Brasil nos próximos anos. A intenção foi relevada pelo CEO global da corporação, Sun Peng, em reunião realizada em Brasília com ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Os novos investimentos serão realizados no setor elétrico, nos segmentos de transmissão, produção e distribuição. Também pretende investir em fontes renováveis e em empreendimentos de mineração focados em minerais estratégicos para a transição energética.

“Temos uma excelente relação com a China e com a State Grid. Agradecemos pelos investidores acreditarem no Brasil. Somos um país que respeita contratos e que possui estabilidade e segurança jurídica, tão importantes para garantir investimentos em nosso país. Temos certeza que a parceria entre a empresa e o Brasil ainda terá grandes passos”, disse Silveira.

O ministro deve visitar a sede na empresa na China para discutir os projetos. A State Grid é uma das maiores companhias do setor do mundo. No Brasil, já atua no segmento de transmissão, operando várias linhas.

A companhia foi a grande vencedora do leilão de transmissão de energia elétrica realizado em dezembro de 2023 pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A companhia arrematou o lote 1, o maior já ofertado na história, que sozinho demandará R$ 18,1 bilhões em investimentos –83% do valor total contratado no leilão.

O contrato será assinado na 4ª feira (3.abr) em cerimônia no Palácio do Planalto com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A partir do evento, a empresa poderá iniciar o licenciamento para a construção da nova linha, que passará pelos nos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás.

Fonte: clique aqui.

Você bem informado!

COMMENTS