Filipe Martins contrata advogado crítico de Alexandre de Moraes

HomeCongresso

Filipe Martins contrata advogado crítico de Alexandre de Moraes

Sebastião Coelho, desembargador aposentado, atuou para o 1º réu do 8 de Janeiro; ex-assessor de Bolsonaro está preso desde 8 de fevereiro

Filipe Martins, ex-assessor de Jair Bolsonaro (PL), contratou o desembargador aposentado do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios) Sebastião Coelho da Silva, crítico do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), para realizar sua defesa em processos em que é alvo na Corte.

A defesa de Martins era realizada pelo advogado João Vinicius Manssur. A troca se dá por insatisfação por parte do ex-assessor de Bolsonaro com o trabalho do então advogado, segundo apurou o Poder360.

Filipe Martins foi preso em 8 de fevereiro de 2024 na operação Tempus Veritatis, que investiga um suposto grupo que planejava golpe de Estado para manter Bolsonaro na Presidência. Para a prisão, a PF argumentou que o ex-assessor teria tentado fugir do país e que não sabia com exatidão seu destino e local de moradia. Moraes, que é relator do caso no STF, concordou e determinou a prisão.

Agora, a defesa de Martins será realizada por Sebastião Coelho e Ricardo Scheiffer Fernandes, advogado e amigo do ex-assessor de Bolsonaro.

Sebastião Coelho foi advogado do 1º réu do 8 de Janeiro, Aécio Lúcio Costa Pereira. No dia do julgamento, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) abriu uma reclamação disciplinar contra o ex-juiz. O Corregedor Nacional de Justiça, Luis Felipe Salomão, citou 3 episódios:

  • agosto de 2022 – no 1º episódio, Coelho criticou Alexandre de Moraes na 13ª sessão do plenário do TJDFT. Disse que o ministro fez uma “declaração de guerra ao país” na posse como presidente do TSE e que isso teria o incentivado a adiantar a aposentadoria;
  • novembro de 2022 – o 2º e 3º episódios se deram no período pós-eleições e estão registrados em vídeo. Ele discursou 2 vezes no Quartel General do Exército, em Brasília. Pediu, nas duas ocasiões, a prisão de Moraes e a intervenção das Forças Armadas.

Fonte: clique aqui.

Você bem informado!

COMMENTS