“Não é incidente isolado”, diz Biden sobre ataque a grupo de ONG

HomeCongresso

“Não é incidente isolado”, diz Biden sobre ataque a grupo de ONG

Investida do exército de Israel na 2ª feira (1º.abr) matou 7 colaboradores de ONG de ajuda alimentar na Faixa de Gaza

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse na 3ª feira (2.abr.2024) estar “indignado” com o ataque aéreo que matou 7 colaboradores da WCK (World Central Kitchen) na Faixa de Gaza, na 2ª feira (1º.abr). Segundo ele, “este não é um incidente isolado”. Entre os trabalhadores que morreram está um norte-americano.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que os militares israelenses “atingiram involuntariamente pessoas inocentes” na Faixa de Gaza, algo que “acontece em guerras”. O premiê declarou que Israel está investigando o ocorrido e fará o possível “para que isso não aconteça novamente”. 

Os EUA têm sido um dos principais aliados de Israel na guerra contra o Hamas. Entretanto, nos últimos tempos, Biden vem se manifestando contra algumas ações israelenses, como o plano para atacar Rafah, cidade ao sul da Faixa de Gaza que abriga civis palestinos. 

Estou indignado e com o coração partido pela morte de 7 colaboradores humanitários da World Central Kitchen”, declarou Biden em comunicado emitido pela Casa Branca. 

Israel se comprometeu a conduzir uma investigação exaustiva sobre a razão pela qual os veículos dos colaboradores humanitários foram atingidos por ataques aéreos. Essa investigação deve ser rápida, deve trazer responsabilização e as suas conclusões devem ser tornadas públicas”, continuou. 

Ainda mais tragicamente, este não é um incidente isolado. Este conflito tem sido um dos piores da memória recente em termos de quantos trabalhadores humanitários foram mortos”, declarou o presidente norte-americano. 

De acordo com a WCK, o grupo foi atingido quando saía do armazém de Deir al-Balah (no centro da Faixa de Gaza), onde havia descarregado mais de 100 toneladas de ajuda alimentar levada para Gaza pela rota marítima. A organização afirmou que a ação havia sido coordenada com as FDI (Forças de Defesa de Israel).

Segundo Biden, Israel “não fez o suficiente para proteger” pessoas ligadas às organizações de ajuda humanitária que atuam na região e casos como o de 2ª feira (1º.abr) “simplesmente não deveriam acontecer”. O norte-americano disse que o país “também não fez o suficiente para proteger os civis” e que continuará “pressionando Israel para que faça mais” para facilitar a entrada de ajuda humanitária da Faixa de Gaza. 

E estamos pressionando fortemente por um cessar-fogo imediato como parte de um acordo de libertação de reféns”, afirmou. 


Leia mais: 

Fonte: clique aqui.

Você bem informado!

COMMENTS