Não há provas contra Seif, diz defesa do senador

HomeEleições

Não há provas contra Seif, diz defesa do senador

Jorge Seif (PL-SC) é julgado por abuso de poder econômico nesta 5ª feira e pode ter mandato no Senado cassado

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) analisa recurso nesta 5ª feira (4.abr.2024) que pode cassar o mandato do senador Jorge Seif (PL-SC) e torná-lo inelegível. Julgado por abuso de poder econômico, a defesa do senador argumenta que nenhuma prova contra Seif foi anexada ao processo. 

A ação judicial foi inicialmente rejeitada pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Santa Catarina em novembro de 2023. Por unanimidade, o tribunal entendeu que não houve abuso de poder econômico pela chapa.

Em março, o Ministério Público Eleitoral defendeu a cassação de Jorge Seif. Nesta 5ª, o TSE julga se serviços foram omitidos na declaração de doações eleitorais. A acusação é de que o político catarinense teria se valido da estrutura da Havan, do empresário Luciano Hang, para promover sua campanha de 2022.

O processo foi movido pela coligação Bora Trabalhar, formada pelos partidos Patriota, União Brasil e PSD, sigla do 2º colocado nas eleições para o Senado em 2022, Raimundo Colombo. 

A defesa do senador é representada pela ex-ministra do TSE, a advogada Maria Cláudia Bucchianeri. Questionada pelo Poder360 quanto à possibilidade da cassação, ela argumentou que a cassação do mandato da chapa desvirtuaria a vontade popular, visto que Seif foi eleito com 1,5 milhão de votos (quase 1 milhão a mais que o 2º colocado, Colombo).

“Não teve uma testemunha ouvida, não anexaram uma prova no processo”, diz Bucchianeri. A advogada reitera que não houve financiamento por pessoa jurídica na campanha e reafirma a inexistência de qualquer irregularidade na prestação de contas. Ressaltou ainda a unanimidade na rejeição do pedido de cassação pelo TRE-SC. 

A defesa de Seif diz estar “muito confiante no desfecho”, quanto à inexistência de qualquer prova que possa cassar o mandato e tornar o senador inelegível por 8 anos. A expectativa é que se mantenha o entendimento aprovado pela corte regional pela ausência de provas que sustentem o processo.


Esta reportagem foi escrita pela estagiária de jornalismo Bruna Aragão sob a supervisão da editora Amanda Garcia.

Fonte: Poder 360

COMMENTS